As redes sociais e o recrutamento

 

O recrutamento está cada vez mais apoiado nas redes sociais. Mas nada como perceber com números o que se está a passar.
A Adecco fez um estudo internacional para perceber como as coisas estão a evoluir, tanto da parte dos recrutadores, como da parte dos candidatos.

Aqui ficam algumas conclusões que podem, talvez, motivá-lo a apostar mais nas redes sociais, se está à procura de emprego.

 

Alguns dados gerais

– Em 2013, mais de metade da atividade de recrutamento envolveu a Internet (53%), em 2014 a previsão é que continue a crescer (61%).

– 5 em cada 10 pessoas que procuram emprego usam a internet. 7 em cada 10 recrutadores usam as redes sociais para as suas atividades diárias.

– 29% das pessoas que procuram emprego já foram contactadas por recrutadores, pelo menos uma vez, através das redes sociais. 9% receberam uma oferta de emprego.

– Os recrutadores usam extensivamente as redes sociais para aferir a reputação do candidato: LinkedIn 68% e Facebook 52%.

– Cerca de 1/3 dos recrutadores admite já ter rejeitado um candidato por causa de alguma informação, fotografia ou conteúdo partilhado nas redes sociais.

– As conexões online de um candidato têm um forte impacto no processo de recrutamento: os que têm uma rede mais rica usam mais provavelmente as redes sociais quando procuram emprego e têm melhores resultados no que diz respeito a contactos com recrutadores.

– Quando a procurar emprego, as redes sociais são usadas principalmente para: procurar oportunidades (63%), pesquisar páginas de potenciais empregadores (55%) e networking profissional (53%).

– 73% dos recrutadores usa pelo menos uma rede social para propósitos profissionais (as suas contas pessoais). A plataforma mais usada é o LinkedIn (58%)

– As empresas de recrutamento são as empresas mais presentes nas redes sociais, por setor de atividade.

– Sobre atividades específicas de recrutamento, as redes sociais são usadas, principalmente, para: anunciar empregos (65%), procurar candidatos passivos (60%), confirmar consistência dos dados do CV (53%).

– Os recrutadores consideram que as redes sociais mais eficientes para recrutamento são o LinkedIn (destacadamente) e o Facebook.

– Para avaliar a reputação online, os recrutadores preferem usar o LinkedIn (68%) e o Facebook (52%). Os fatores mais importantes que avaliam no perfil são: a experiência de trabalho, distinções e prémios profissionais, características de personalidade que emergem do perfil, conteúdo publicado pelo candidato, e referências e comentários de outras pessoas (por esta ordem).

 

Candidatos

Deve analisar bem estes dados e refletir sobre a forma como está a usar (ou não) as redes sociais para gerir a sua imagem e carreira profissional.
O que é que pode fazer para melhorar a sua presença online e garantir que está preparado para os próximos passos na sua carreira?…

 
Fonte: Adecco

Conheça os modelos de CV e cartas de apresentação que lhe disponibilizamos gratuitamente: Recursos Gratuitos

 
 
 
Fotografia: Flickr, greyweed SMM-Jigsaw-Banner